Desconheço quem na vida não sofre por dizer o que pensa, e fazer o que gosta... Claro que te darão as costas, por que o mais comôdo e aceitável, é permanecer dentro da ciranda deles, dentro daquilo que eles rotularam, e aí de quem não andar na linha do "trem" deles!

Rosângela Cunha

14 de mai de 2011

"As pessoas feridas são mais perigosas, pois sabem que podem sobreviver..."

Não me substime... Por que eu não me faço de cega,
eu enxergo mesmo, por mais longe que a  coisa esteja.

Rosângela Cunha

17 de abr de 2011

"Amanhã fico triste... Hoje não!"

Mas se possível, HOJE NÃO!
"Amanhã fico triste... Hoje não!"Esse trecho de um poema encontrado na parede de um dos dormitórios de crianças do campo de extermínio nazista de Auschwitz, , está ecoando como um grito nos meus ouvidos, e por mais que HOJE eu tente não ficar triste, não consigo substituir com flores os espinhos que hoje faz moradia em meu peito... Tive um dia dificilímo, e rivotril nenhum está conseguindo me restituir sequer uma dose de serenidade... Chorei por tudo hoje, e principalmente por ter cometido nessa vida o maior erro, talvez o meu grande erro: Amar demais, amar sem limites... E nessa de ser essa eterna exagerada em tudo, tô aqui sem sono, sem planos, e muito vazia! Andando de um lado para outro pelos cantos silenciosos desse lugar onde habito, e onde também sempre depositei as minhas alegrias desmedidas, e agora tenho que conviver com esse silêncio de sorrisos, de passinhos espalhados pela casa, sem as risadas que sempre coloriram de todas as cores os meus dias, mesmo aqueles que faz com que a gente perca a paciência de tão quentes quando eles se apresentam. Mas eu vou tentar outra vez, vou encostar o meu corpo dilacerado em algum lugar onde eu possa me aconchegar, e pensar de novo mais uma vez: "Amanhã fico triste... Hoje não!"

Rosângela Cunha

15 de abr de 2011

Saudades


E me deu uma vontade súbita de voltar aqui outra vez,
bateu uma saudade louca de "blogar" de novo,
de "rever" as pessoas lindas que sempre encontro por aqui...
"Cadê" vocês, meus amores?! Voltei "estourando" de saudades,
e com um pedido que esta engasgado aqui dentro de mim:
Um pedido de desculpas pelo afastamento, pelo "isolamento",
sei lá... Estive tão ausente, mas VOLTEI!
Sim, voltei... Carente de abraços, de sorrisos,
venham me ver, é urgente essa minha urgência!

.
Rosângela Cunha

3 de set de 2010

GENTE, "um doce mistério"...


Gosto demais de GENTE...
GENTE que olha no olho da gente,
GENTE real que age de acordo
com aquilo que se é realmente,
gosto de GENTE que desperte
na gente uma motivação diferente,
e que nos empurre pra frente...
Gosto de GENTE
que segura um olhar
dentro do olho da gente,
não gosto de GENTE
que finge que não vê a gente,
que ri sem vontade,
e vai pra cama descontente,
gosto de GENTE que admite
o começo, o meio e o fim,
GENTE que tem coragem
de encarar o novo,
e jogar o velho quando
ele deixa de existir,
infelizmente tem muita gente
que se agarra ao velho,
para sustentar as mentiras
que arrematou para si,
com o intuito de garantir
uma suposta quietação
que só existe aos olhos dessa gente,
que age e pensa diferente
de quem não tem medo de ser GENTE,
gosto de GENTE que não faz nada
de "caso pensado",
gosto de GENTE que não se importa
com o que os outros pensam ao seu respeito,
gosto de GENTE que vive naturalmente,
gente de cara lavada mesmo,
gosto de GENTE independente,
e, gosto, sobretudo, de GENTE
que age, e que diz aquilo
que pensa, e que sente,
e que não dá a miníma para os que
não vão com "cara" desse tipo
maravilhoso de GENTE.

Rosângela Cunha


.

27 de jun de 2010

SIM ou NÃO... Eis a questão!


SIM ou NÃO,
eis a questão...
Não existe meio-termo
quando se trata
de uma decisão...


Tanto faz
se for SIM
ou se for NÃO,
em qualquer
uma das opções,
você decide
pra onde guiar o seu coração.


Rosângela Cunha



.

10 de jun de 2010

"Amar é tão simples, amar é tão complexo"...


Ela quer ser gostada simplesmente,
amada simplesmente, e cuidada.
Hoje somente isso é o que ela
mais quer, em se tratando
de estar com "alguém".


Rosãngela Cunha


.

28 de mai de 2010

Força, mulher!


Tenho arrancado o máximo de coragem
para tocar em frente,
tenho tentado com unhas e dentes
não me abandonar,
tenho feito de tudo para VIVER em paz,
e não deixar nada, e nem ninguém
tomar conta do meu barco.


Rosângela Cunha





.

24 de mai de 2010

Dou-hes o meu silêncio, já é "coisa" demais!


Mil vezes não, eu já disse isso mil vezes:
Eu não vou lhes responder. O lugar que
eu vou permanecer será esse até o fim.
Não tenho respostas para quem não sabe
formular perguntas. Para " certa" gente
só darei o meu silêncio. Já é muita coisa.


Rosãngela Cunha

.

18 de mai de 2010

Ai, ai...


Tem dias que consigo conter essa minha urgência completamente louca, confusa, meio que atrapalhada, ilimitada, desgovernada, mas não é fácil! Eu sou assim, e não me preocupo se ser assim incomoda tanto... Na verdade eu adoraria mesmo era passar despercebida, algo do tipo sem ser notada. Quero viver simplesmente, e não adianta ninguém me pedir calma, juro que eu não consigo. Minha natureza é revolucionaria, e no meu peito bate um coração acelerado, forte, louco, apaixonado. Fui sempre assim, carrego comigo um amor explosivo, pronto para "pegar fogo" a qualquer momento. Mas nos dias que não consigo deter o que sou, ai, ai...

É a vida!



Rosângela Cunha







16 de mai de 2010

Viver, viver e VIVER!


Todo mundo acorda em certos dias sem vontade de levantar da cama, é como se nos faltasse coragem de encarar o dia que acabara de amanhecer, é como se estivessemos cercados por uma certa desilusão... Mas é aí nesse momento que devemos saltar da cama para irmos a luta, inventar, e ao mesmo tempo acreditar num novo sonho, alimentar com doçura a nossa esperança, mesmo que ela nos pareça "desesperançosa". Vale tudo nessa hora, menos chorar por muito tempo, para que o tempo não possa parecer perdido. Existe sempre alguma coisa nos esperando. Umas se realizam, outras não... Mas não importa. O que importa mesmo é levantar todos os dias para a vida, pois um dia só vamos sentir falta daquilo que a gente não VIVER. Para não morrermos de saudade da vida, o melhor remédio é vivê-la com toda intensidade possível, até a sua última gotinha.


Rosângela Cunha




.

Eu só sei amar!



Meu coração é para aqueles que como eu
se dão, se entregam, se solidarizam...
Meu coração só cabe em corações
doces, meigos, carinhosos, e que amam!
Meu coração só sabe amar, amar e amar!


Rosângela Cunha



11 de mai de 2010

Saudade de VOCÊ, saudade de "enlouquecer"!


Andei alguns dias no mundo da lua,
vagando por aí pelas ruas,
quase "morrendo" de saudade tua!


Rosângela Cunha



.

4 de mai de 2010

Tem que ter fé!


Não desistir nunca é a única arma que se tem para continuar na vida... Quando você se "fecha" para o mundo, as coisas deixam de fluir, e tudo "desacontece". É preciso está sempre de olhos bem abertos, e de armas na mão. A vida não pode ser deixada de lado, nem pendurada em um canto qualquer. Tem que ter fé, e acreditar "que tudo vai dá pé", e tocar em frente, sempre em frente...


Rosãngela Cunha


.

2 de mai de 2010

Vê se me entende...


Aí vem você me ligar numa hora dessas depois que a "coisa" ficou preta para o seu lado, e me coloca num beco sem saída... Esperei tanto que você me ligasse de outra forma, mas agora estou confusa, não quero me expor, entende? Tanto que eu te falei para ter cuidado contigo, para que você fosse poupado dessas coisas, mas você, cabeça dura, não quis me ouvir, e agora me quer do seu lado... Assim é "brabo", compreende? Faz tempo que procuro viver em paz, sem complicações, tipo acordar tranquila, com a mente "branda", azul, sem grilo nenhum, faz tempo que me policio na tentativa de controlar os meus impulsos repentinos para não escorregar numa lama preta, dessas que deixam cicatrizes, entende? Não sei, acho que dessa vez eu não vou poder entrar nesse barco com você, até por que bem antes de tudo que já aconteceu, eu já sabia dos furos enormes desse barco, e mesmo sabendo que não valia a pena eu ainda fiquei por um bom tempo, mas a "coisa" foi exatamente para o lado que eu sempre temi, falamos nisso tantas vezes, "garoto", mas você insistiu naquela "perseguição" idiota, e que só podia dá nisso mesmo. Dessa vez eu não vou seguir os caminhos do coração, serei racional, pela minha vida que ainda vale muito a pena.


Rosângela Cunha


.

1 de mai de 2010

Contando as horas...


Faltando apenas cinco dias para sua chegada, meu coração já está em festa... Serão cinco dias ao lado da sua doce presença, e que espero "acalmar" um pouco a saudade que sinto de você, a falta que você faz pelo meio dessa casa. Mainha ama muito, tá?
Rosângela Cunha
.

29 de abr de 2010

Sempre falta...


A verdade é que sempre falta alguma coisa, e que essa coisa que sempre falta não está a venda. Caso contrário, eu viraria o mundo de cabeça para baixo para ter essa coisa que nada substitui, e que vai sempre faltar...


Rosângela Cunha


"A verdade é que você é a minha cura, é doce paixão, ninguém segura"...


?!

28 de abr de 2010

Não há o que lamentar, pelo contrário!


Não que eu acredite que alguém possa despertar para vida inteira, isso não. Mas eu não sei em que momento foi, que eu comecei a perceber que eu não tinha mais tanta necessidade de encontrar respostas para algumas perguntas que me "sondaram" por quase a vida toda. Não desejo mais entender as razões que me levaram para onde eu fui em determinados momentos, se eu estava onde estava, e consequentemente agi da forma que eu quis, não há o que lamentar, pelo contrário, quando criamos o que vivemos é por que de alguma forma foi por nossa própria vontade. Um gesto nosso por menor que seja, além de determinante, só acontece com a nossa permissão, e com a nossa cumplicidade.
Rosãngela Cunha
*

25 de abr de 2010

E causa...


Tem vezes que eu não "gosto"
de ser inesquecível,
pelos danos que o
"não esquecimento' causa.
...
Hoje, por exemplo, para "alguém"
que eu tanto amei, "um dia",
e, que não soube me amar
como eu merecia.

.



Rosângela Cunha

23 de abr de 2010

Decreto


Fiz um trato comigo e não vou quebrá-lo de jeito nenhum:
Por mais difícil que seja a minha caminhada, e por mais
que surjam poços, e embora eu caia milhares de vezes,
e tenha que recomeçar outras milhares de vezes,
eu já bati o pé, e baixei o seguinte decreto:
NUNCA, MAS NUNCA MESMO,
VOU DESISTIR DE MIM!


Rosãngela Cunha
.

22 de abr de 2010

Tem que ter mel e fel


Dias não são iguais, não poderiam,
se fosse assim perderíamos aquilo
que alimenta as nossas expectativas...
Cada dia deve ser surpreendente,
e cada um deles deve ser novo,
diferente... Não importa a sua cor,
de preferência que seja como o mel
que adoça a vida da gente, mas não faz
mal dias com fel, que triste seria os
dias se não tivéssemos nada para
combatermos! Dias precisam de
movimento, de lutas, de corre-corre
para sacudir as nossas energias,
para testar a nossa coragem...


É a vida!


Rosângela Cunha

.

20 de abr de 2010

Falando cedinho com "ELE", amém!


Por não fingir,
por não fugir,
por não desistir,
por SER eu mesma,
que preço alto, meu "rei"!


[...]


Mas foi assim
que "você" me fez,
e eu não sei viver
de outro jeito,
que não não seja do meu jeito


[...]


Gemendo e cantando,
seguro a onda que vier,
tenho dias leves
alguns pesados,
mas todos indispensáveis


[...]


Ás vezes dói nos ombros
carregar tanto cansaço,
mas minha alma foi construída
com tanto amor,
que qualquer dor cura bem rapidinho

[...]

Mas se me fizestes assim
sabia que eu podia carregar
a "bagagem" que pintasse,
e que "bagagens",
meu "rei"!


[...]


Mas eu não reclamo:
quanto maior o caminho,
melhor ainda o caminhar...
Não existe nada melhor
do que nadar, nadar, nadar...
E atravessar os "rios" sem se afogar!


[...]


Pois bem, meu "rei",
fique contente:
sou forte, não sou desistente
topo qualquer parada,
sou doida, mas sou "resistente"!


Rosângela Cunha
.

18 de abr de 2010

Sou tantas ao mesmo tempo... Mas todas da mesma idade!


Não sou uma pessoa de dentro para fora não, por isso que a minha beleza, coisa que todo mundo tem, de um jeito ou de outro, está no meu caráter, e na minha essência. Por mais que eu amanheça meio desanimada, continuo acreditando em sonhos, veja bem, em sonhos... Não perco o meu tempo com utopias, mas também não sonho alto não. Os meus sonhos, se perseguidos com dedicação são fáceis de serem realizados. É que não me esforço muito não, mas um dia ainda os realizo um por um. Estou na vida para viver, e degustar todos os seus sabores, não importa se caindo aqui e acolá, não. O que importa mesmo é viver, aprender, levantar inteira das quedas para cair de novo, e tocar em frente... Hoje sou assim, amanhã já levanto me reinventando, alterando os meus "ponteiros", sou uma mistura de menina e mulher, do tipo que se perde, que se encontra, que enlouquece, mas que no final consegue sempre se sair inteira de qualquer situação. Felizmente!
Sou do tipo que não me doo pela metade. Ou sou sua amiga, ou não sou. Meio-termo não é mesmo comigo. Não suporto pessoas assim, ignoro-as. Conservo o meu lado bobo, claro, mas não sou burra... Sei exatamente quando me subestimam, e lamento. É muito fácil arrancar um sorriso meu, pessoas me ganham com muita facilidade, mas também me perdem. É só uma questão de cuidado, de respeito... Essas coisas que muitas pessoas não tem pelas outros, aí já viu, eu não sou apenas de carne e osso, minha alma não cabe dentro do meu corpo, vive sempre "sangrando".

Rosângela Cunha

Um dia acontece na vida da gente


É mesmo muito estranha a sensação que a gente sente, quando descobre que tudo sempre esteve ali, ao alcance dos nossos olhos, das nossas mãos, do nosso coração, e por que passamos tanto tempo para entendermos isso?! Por que só depois de tanta procura, de tanto cansaço, de tantas chuvas e tempestades, quando a gente podia ter evitado tantos estragos, bem que podíamos... O amor, a felicidade, todos os bens que tanto buscamos nunca saiu do nosso lado, está na nossa frente, basta clicar no interruptor que faz com que a vida acenda os seus "holofotes", e pronto, tudo fica aceso, vivo, brilhante, festivo... É a vida, essa maravilha!


Rosângela Cunha

15 de abr de 2010

13 de abr de 2010

Acerto de contas


Já está querendo anoitecer, e quando vai chegando a hora do sol se por, vai chegando junto também a saudade de você... Mas junto com essa saudade vem também momentos de promessas, e de novas possibilidades. A noite é para mim algo muito sagrado, entre o dia e a noite, indiscutivelmente eu sempre optei pela noite, e seus silêncios onde sempre dou "de cara comigo", e faço meus "acertos de contas". Questiono-me, indago-me, pergunto-me, respondo-me, e durmo em paz, amém!

Rosãngela Cunha

9 de abr de 2010

"Nem sei se te amo"... Mas me amo!


Noite fresquinha essa aqui sozinha, mas numa paz tão infinita que mal consigo escutar o barulho dos meus passos quando levanto os pés para pegar uma geladinha suadinha da geladeira na cozinha... Noite lindinha de chuva fininha caindo de vez em quando lá fora, enquanto uma melodia de Luís Melodia faz uma "cosquinha" gostosinha dentro da minha alma tão limpinha nessa noite tão minha... "Perola negra, te amo, te amo"...


Rosângela Cunha

Seus truques não dão em nada...


E de nada adianta o seu olhar com desejo de me secar,
por que quanto mais você luta para me derrubar,
eu amanheço cada dia mais forte sem medo de
trilhar esse "mundão" que me abraça,
e me empurra com força para
alcançar tudo, tudo que
eu sonhar!


Rosângela Cunha


7 de abr de 2010

Prece


E vivo, e continua viva, e todos os dias
meu renascer é cheio de flores novinhas,
e em todas elas eu vejo brotar a semente
do amor. Não se pode viver sem amor,
não se deve deixar de amar!
Rosângela Cunha



...

2 de abr de 2010

Eu quero tanto ainda!


E a cada novo pontapé eu reajo firme,
e repito, EU QUERO TANTO AINDA!
Quero e não abro mão "das minhas causas",
sejam elas de "saias justas" ou não,
são minhas, e eu vou arrasta-las
uma a uma, até a última batida desse
calejado coração que mesmo quando
massacrado, não consegue deixar
de ser vibrante, e de desejar sempre
EU QUERO TANTO AINDA!

Rosângela Cunha

1 de abr de 2010

Agora não dói mais - Mais uma dose!


Como não sou do tipo de ficar "remoendo" o que passou, mas teve um tempo que eu "remoía", era, eu "remoía", mas não perco mais meu tempo com isso, ou quem sabe tudo não ficou tão desnecessário?! É isso, ficou "desnecessário", sem jeito. Deixa fluir o que vier agora, de preferência que seja "maneiro", sem pensar no que virá depois. O que virá, virá de qualquer jeito, então, deixa rolar. Quem sabe se dessa vez a gente não constrõe um barquinho com furinhos quase que impercebiveis, e com capacidade de suportar as nossas "ondas"?! Quem sabe?! Também não vou pagar pra ver, muito menos fazer nenhum tipo de "reboliço" nos meus neurónios, não, isso não! Eles não vão mais ser "amolados" por nenhum tipo de incerteza, não posso mais adiar nenhum segundo da vida, e qualquer parada só se for para ser feliz. Essa minha urgência. Rosângela Cunha

30 de mar de 2010

A gente só aprende aos "trancos" mesmo... Mas APRENDE!


Tenho aprendido na dureza mesmo, sem ser contaminada pela frieza dos corações gelados que "congestionam" os meus caminhos, que não adianta "enlouquecer" de um lado para o outro, quando as coisas não acontecem da forma que desejamos. Para mim tudo sempre foi muito batalhado, muito sofrido, muito perseguido, e até chegar a um certo nível de precisão daquilo que busco, o caminho é árduo e espinhoso, mas felizmente sempre acontece uma coisa boa que se sobressai, e dessa forma colho alguns frutos compensadores que fazem valer a pena essa busca. Não é fácil seguir o rumo das estrelas, quando se tem pela frente paredes escuras tentando lhe tirar a visão, e com isso lhe impedindo de prosseguir a viagem que lhe fora permitida, e que por direito lhe pertence... Por essa razão é que eu enfrento, e continuo por esse percurso infinito que me "e"levará para os lugares que desejo encontrar. Sempre encontro, felizmente! Caso contrário eu viveria estacionada no mesmo lugar dos que não buscam, e só lhes restam à frieza bruta no olhar. Rosângela Cunha

28 de mar de 2010

"VEJA-SE" e viva melhor!


"Ver" é uma verdadeira bênção,
e mais ainda quando se tem a
coragem de "se enxergar"...
Poucas pessoas tem, infelizmente!
E dessa forma vivem infelizes
pelo resto da vida, por que só
a partir da aceitação daquilo
que se é, seja esse "é" composto
do que for, é que se pode viver
com tranquilidade, e ser feliz de
verdade, não importa o que esteja
dentro dessa composição,
o que importa é SER em qualquer
situação AQUILO que se é de verdade,
sem mascarar para alguns a sua
verdadeira identidade.
Aquilo que UNS podem ver
deve ser mostrado aos OUTROS,
não se pode passar a vida inteira
tentando enganar AQUILO
que não se consegue enganar
a si mesmo...
Legal de verdade é MOSTRAR a cara,
e não temer o que os outros vão dizer,
e daí? Quem gosta de você de verdade,
gosta também do que não presta em você.

Rosângela Cunha

27 de mar de 2010

Até a última gota...



Depois de uns dias meio tortos, sombrios e
desarrumados, hoje acordei quase inteira,
sem a melancolia que me"roubou" por uns
dias a minha tranquilidade e o meu equilíbrio.
É verdade, “vez em quando” pinta uns dias meio
cinzentos na vida da gente, uma meia desistência pelas
coisas da vida, mas, felizmente, passa, e de uma hora para
a outra a gente se “encontra” contente novamente,
e o entusiasmo ressurge outra vez,
e a gente percebe que ter fé é
igual a está vivo, e que tudo na vida
é provisoriamente passageiro,
assim com eu, como você,
e como todo mundo.

Rosângela Cunha

23 de mar de 2010

Tá combinado!

Então tá combinado,
cada um esquece o que passou,
e qualquer tentativa de rever
seja lá o que for,
da minha parte, tá combinado,
esquece, foi uma leve recaída,
que eu nem sei mesmo se devo
chamar de recaída...
Acho que não,
penso agora que a solidão
andou me rondando,
tentando me assediar,
mas eu juro, passou, tá passando,
eu preciso aprender a redefinir
as coisas que acontecem comigo,
caso contrário vou acabar caindo
em um daqueles abismos
insuportáveis...
Eu não suportaria mais!
Rosângela Cunha

Passa, eu sei que passa!















Ao mesmo que te procuro nos lugares
que possivelmente te encontraria,
morro por dentro com a certeza de que
mesmo que eu te encontrasse,
nenhum de nós dois abriríamos mão
da vida que cada um tem em mente,
vivemos em lados completamente opostos,
e nesse caso, eu não posso deixar de concluir,
e ao mesmo tempo contrariar uma certa opinião
que diz “que os opostos se atraem”, sim,
atraem-se quando não existe passado,
aquela coisa que fica sempre nos lembrando
alguma coisa, interferindo, remoendo...
tão bom que pudéssemos viver um amor

diferente daquele que vivemos...
um amor decente, pra frente,
sem sombras, sem rastros
nenhum entre a gente,
só a magia de estarmos juntos outra vez,
como se fosse a primeira vez!

Rosângela Cunha

22 de mar de 2010

Teu abraço que eu não esqueço!



Posso até nunca realizar certas "fantasias" malucas,
mas o prazer que me dá em você pensar,
isso ninguém pode tirar, e nem mesmo adivinhar
o que rola aqui dentro toda vez que você "chega"
e se instala de um jeito que me deixa louca de tanto
desejo que eu não sei como explicar...
E pra que mesmo explicar?
(Certas coisas não se explicam, são
sentidas e ponto.)

Gosto de sentir o que você me faz sentir,
algo do tipo Chico quando diz assim:
"Que rouba os meus sentidos, viola os meus ouvidos...
ai, ai...
"Meu corpo é testemunha do bem que ele me faz"...

Clique aqui e saiba o que eu sinto! => O Meu Amor
(Explicadinho sem ter que explicar nada, só "viajar" com você por dentro).
Pensando em VOCÊ,
que me deixa louca de
tanto querer.
Rosãngela Cunha

21 de mar de 2010

Pensei em VOCÊ outra vez...


E nada mais havia para ser feito para que voltasse
a existir entre aqueles dois alguma coisa que os levassem
à acreditar que ainda restava seja lá o que fosse
para tentarem “restaurar” aquela relação tão desgastada,
e que mesmo dilacerada eles ainda a arrastaram
por tanto tempo ainda...
Chove uma chuvinha fininha lá fora,
e eu lembro com uma certa nostalgia
dos invernos que passamos juntos,
nossa estação preferida, lembra?
Esse o primeiro inverno que vamos passar separados,
desde aquela “tempestade” que nos juntou,

e que nos olhamos pela primeira vez
cheios de desejos um pelo o outro,
e que mesmo diante de tantos obstáculos,
decidimos viver aquele amor que já começara tumultuado
desde o início, e mesmo assim seguimos em frente
apaixonadamente apaixonados um pelo o outro...
Tivemos a chance de sonhar muitos sonhos juntos,
e de acreditar seguramente

que havíamos nascido um para o outro...
Chegamos tantas vezes a nos prometer

que envelheceríamos juntos,
você me “cuidando”, e eu te “cuidando”...
Acreditamos nisso por tanto tempo!
Foi doce acordar ao seu lado muitas manhãs,
Milhões de manhãs, incontáveis manhãs...
Agora aqui lembrando de nós dois,
não consigo pensar nos horrores que me causastes,
só me vem na lembrança às emoções maravilhosas
que por tanto tempo alimentou com mel
os nossos momentos de felicidade que não foram poucos,
e que mesmo quando interrompidos
pela sua falta de zelo com o nosso amor,
um sorriso e um abraço seu conseguia apagar
qualquer falha sua, e mais uma vez
eu caia nos seus braços,
e te amava como se nada tivesse acontecido.
Foi desse jeito por tanto tempo, por tantos anos,
e hoje quando estamos distantes um do outro,
lamento por tudo que apostamos,
e que não conseguimos ser, e mais ainda,
pelas inúmeras tentativas da minha parte...
Você sabe que eu tentei, sabe que eu me joguei,
sabe que enfrentei cobras e fel para ficar ao seu lado,
você sabe disso mais do que eu...
Mas aí chegou uma hora que eu não tive mais forças
para manter viva a nossa permanência,
eu já não sabia por onde ir nem o que tentar,
tudo se tornou perdido, confuso, empoeirado,
e restou-me apenas juntar o que ficou de mim
e sair dali correndo, sem destino certo, correndo...
Hoje estou tentando ser um pouco racional,

Lembro de você, apesar de tudo, com saudade,
como ontem... Pensei até em te ligar!
Mas eu sei que já é bem tarde,
já nos perdemos, eu sei, nós sabemos...
Sabemos mais, sabemos que não sabemos mais

nem aonde poderíamos nos encontrar.
Já é tarde, meu amor, tarde demais
tarde para tentar reerguer
um edifício que há tempos despencou,
nós sabemos disso,
você sabe disso, eu sei disso...
Rosângela Cunha

19 de mar de 2010

Nunca vou desistir de SER FELIZ!

Abraça-me LIBERDADE!

Coisa que me deixa absolutamente intrigada, confusa, e meio indignada, é quando alguém, sem "autoridade" nenhuma, tem a audácia de me cobrar certas coisas relacionadas ao meu comportamento, chegando ao ponto de "esquecer" a sua própria identidade, algo que considero lamentável, cada pessoa deveria preservar com carinho o seu arquivo pessoal, para não esquecer o que lhe aconteceu de bom, e claro, de ruim também, coisas que machucou, que sangrou, que doeu, e que, com toda certeza deixou marcas feito tatuagens, o que é normal demais na vida da gente. Não conheço nenhum colecionador de perfeições, nunca conheci, acredito que não existe. Ao mesmo tempo acho engraçado, e não consigo deixar de rir meio perplexa, com o tamanho da ousadia dessa gente, se eu não lhe telefono, pôxa, não ligue para mim, seja indiferente. Isso se chama elegância, então... Seja elegante, é tão bonito! Não sei falar de prisão num dia, e no outro falar de liberdade. Ou se defende uma coisa ou outra, para isso não existe meio-termo. O meu lema sempre foi o da liberdade. Liberdade de ir e vir em primeirissímo lugar, liberdade para cair e levantar, liberdade para fazer o que bem entender. Liberdade para assumir os acertos, e os erros principalmente. Ninguém tem o direito de meter o nariz onde não é chamado, cada um tem o direito de viver da forma que quiser, cada um é responsável pelas escolhas que faz na vida, não é necessário lembrar a ninguém esse tipo de situação, se no final quem sempre acaba “pagando o pato” é a própria pessoa, e ninguém mais... E daí? Quem foi que disse que esse ou aquele caminho é o certo ou o errado?! Existe caminho certo e caminho errado?! Existe a pessoa certa e a pessoa errada?! Desconheço todas essas "babacas" teorias, o que sei, e o que conta mesmo, é aquilo que está dentro de você, e que não pode ser mudado por imposição dos outros. O caminho é feito por cada um, ninguém nunca criou um caminho determinado, e quando se erra em determinadas escolhas que se faz, o que se há de fazer?! O "problema" é de quem quis da forma que quis, ninguém tem nada a ver com isso, se é que podemos chamar isso de "problema", para mim essa coisa tem outro nome. Intromissão. Viver seria ainda mais maravilhoso, se cada um se envolvesse apenas com a própria vida, aí sim, desse jeito chegaríamos próximos do livre arbítrio, e cada um assumiria o seu próprio papel na vida, errando, acertando... Não importa! O que importa mesmo é não se importar com que o outro está fazendo ou pensando. Viver uma vida já é tão complicado, imagina “viver” entre aspas mesmo, a vida do outro! Convenhamos que, é impossível, mas é claro que existem pessoas que não conseguem de jeito nenhum se comprometer apenas consigo mesmo. Por isso, eu canto, Lá, lá, Lá... E VIVO! Vivo da única maneira que sei viver: LIVRE. Livre para cair, levantar, pecar, errar, sofrer, sorrir, "perambular" por aí... E daí?! Não lembro se alguma vez pedi o ombro de alguém para me sacudir naqueles momentos de solidão medonha, pelo contrário, meus ombros já carregaram inúmeras dores alheias, mas eu não reclamo não, “ele” continua firme, mas hoje só carrego apenas o que quero carregar, e mais, de quem quero carregar. É um DIREITO meu.

Rosãngela Cunha

Mas não tem jeito mesmo, sou realmente uma pessoa impulsiva do tipo que acredita cegamente nas próprias intuições, claro que nem sempre acerto, mas na maioria das vezes sou certeira, o que faz com essa minha impulsividade, obviamente, seja o resultado de um bom raciocínio. Ser impulsiva tem lá as suas vantagens, mas também tem as suas desvantagens... Entre um dos dois resultados sempre optarei, indiscutivelmente por tornar-me impulsiva, correndo assim todos os riscos. Não se vive só de ganhos, a vida também é de percas, e só perdendo é que podemos avaliar se somos bons ou maus jogadores. Mas que importa mesmo ser mau ou bom no jogo da vida?! Ora, o importante mesmo é está na vida, "nem sempre ganhando, nem sempre perdendo, mas aprendendo a jogar"... O jogo da vida é fascinante!
Rosângela Cunha


Quem não consegue compreender-me,
não deve ler o que eu escrevo,
é simples,
ignore-me!
Quem não tem a sensibilidade
de entender o que eu sinto,
não deve perder tempo nenhum
com aquilo que desconheces...
Também não me importa o que pensas
ao meu respeito,
só não queiras arrancar de mim
o meu direito de SER,
que somente a mim me pertence
.

Rosângela Cunha

18 de mar de 2010


Claro que eu não ando por aí procurando o amor, essas coisas que nem sei direito, mas vez em quando tropeço em “alguma coisa”, sem querer, do tipo que não sei explicar direito, mas quando acontece, eu idealizo também meio sem perceber, e quando percebo, já estou dentro de “mala e cuia”, e quando não me arrebento, desperto em tempo de perceber, que mais uma vez não era amor, não era nada... Era, talvez, uma carência dessas mal resolvidas que a gente inventa inconscientemente, para não ficar sozinha em certos momentos que a alma da gente soluça por uma companhia, por um acalanto para enxugar prantos antigos, histórias mal resolvidas, dessas que todo mundo tem na vida. Mas não faz mal nenhum quando a gente já sabe de “co e salteado”, como é o começo, meio e fim desses “tropeços”, que acontece quase sempre inesperadamente, eu já sei “tirar de letra”. Quando fico meio “tombada” depois de um “choque” desses, fico alguns dias “cambaleando” pelo meio da casa, mas quando a “coisa” não tem muito significado, não preciso de muito tempo para me refazer. Sou do tipo que bato a poeira rapidinho, e pronto, já era, tudo volta a ser como antes, e mais uma vez estou pronta para embarcar outra vez no desconhecido, no inesperado, no que vier, no que fizer meu coração bater “descompassadamente”, por que é só assim que sei dançar na roda gigante da vida. Não leio, e nem creio em “manual de instruções”, não tomo como base as experiências alheias, desconheço bulas para essas coisas que agente vive inventando, querendo, sem querer direito, e que quase sempre não funciona da forma que a gente imagina, sem querer. Mas não faz mal... Amar faz um bem danado, mesmo quando tudo dá errado. Ninguém nunca conseguiu descobrir a fórmula certa, se é que ela existe.
Rosângela Cunha



As pessoas que amamos deveriam ser inseparáveis...
Como dói não te ver todos os dias,
não te ouvir me dizer bom dia,
ir pra cama e não te sentir ao meu lado,
acordar sozinha sem ganhar cedinho o teu abraço!

Rosângela Cunha

17 de mar de 2010

No que depender de mim


Naquilo que depender de mim
jamais me tornarei madura
nem nas ideias, nem no velho estilo enferrujado.
Serei eternamente verdinha,
com gosto de hortelã de tua boca,
incompleta, em fase experimental,
já dizia o poeta que"as coisas mais doces
custam muito a amadurecer"...
Portanto, amadurecer,
que demore a vida toda,
ou que nunca chegue a acontecer.
Naquilo que depender de mim,
que eu seja eternamente doce,
que nunca mais leve comigo
fardos tão pesados que nos
ombros por tanto tempo levei...
Que eu seja leve, e que possa flagrar
de vez em quando o meu coração,
a quem chamo de "músculo involuntário",
inspirada em Marisa Monte,
feliz, feliz e feliz...
Sem nenhuma razão visível
para um súbito contentamento,
que ele seja flagrado feliz simplesmente...
Naquilo que depender de mim,
eu vou viver cada novo dia intensamente
desejando sempre ardentemente
uma nova vertigem,
um novo entusiasmo ,
sem a terrível limitação dos acomodados,
que insistem sempre
em fazer o mesmo percurso
todos os dias, e sempre nos mesmos horários,
ao lado das mesmas pessoas,
desenhando os mesmos papos,
alimentando os mesmos sonhos,
sem jamais mudar de planos...
Eu não! quero para mim todo dia
sonhos novinhos em folhas
deslizando no meu peito.
Naquilo que só depende de mim,
enquanto eu puder “segurar” a onda,
enquanto eu estiver cheia de saúde,
enquanto os meus pés atingirem o chão,
enquanto o meu coração vibrar,
enquanto eu estiver lúcida,
não vou deixar nunca que
a minha idade cronológica exerça
qualquer tipo de domínio na eterna criança
que mora dentro de mim...
No que depender de mim,
manterei sempre viva a minha jovialidade interior,
e viverei tudo que o vento soprar ao meu favor.
No que depender de mim
vou viver até o último dia da minha vida
arriscando todo dia a minha própria vida,
mesmo sabendo que
com isso perderei “coisas”,
não importa...
O que importa mesmo
é não deixar de viver a vida..
No que depender de mim
todos os dias farei novos amigos,
e com todos eles terei uma relação de respeito,
de amor, de sorrisos,e de muita ternura para embalar...
Amigos são pedras preciosas,
feliz de quem tem um milhão...
Por isso sou feliz de “montão”!
No que depender de mim,
vou levar o resto da minha vida
embriagada de novos horizontes,
de novos olhares, e de renovadas armadilhas,
naquilo que depender de mim, pode crer,
não vou perder nenhum segundo do meu tempo
com quem não “viaja”,
com quem não sonha,
com quem não reage a cada batida do coração,
com quem pensa mesquinho,
com quem cultiva ódios e rancores,
Com quem planeja vingança,
com quem não altera a melodia da sua vida,
com quem não acredita no novo, no inesperado,
e por fim, só vou desperdiçar partes
do meu precioso tempo somente
com quem arrastar vida a fora
sorrisos, estrelas, flores, perfumes
desejos, e os mais ousados sonhos,
por que é do lado de gente assim
que o meu renovado quer
vai sempre pedir para estar.

Rosângela Cunha

De volta pra casa




Mas eu tinha que lhe dizer antes que aquele ônibus partisse
que embora eu estivesse partida em mil pedacinhos,
ainda restava-me força e fôlego para lhe dizer
com a voz engasgada, que eu ia ficar lhe esperando

o resto da minha vida, mas que estava disposta
a enfrentar o silêncio dos seus passos pelos cantos da casa,
e, que mesmo aos "trancos", abriria a janela do quarto
para que o sol pudesse invadir com os seus raios luminosos
o meu ser tão cansado que por tanto tempo lhe abrigou...

Mas eu tinha que lhe dizer muito mais ainda,
que eu não podia lhe impedir de partir,
e deixar você ir agarrar com unhas e dentes
o mundo que lhe aguardava...

Chega uma hora que a VIDA é a única escolha,
e para você não poderia ser diferente,
a hora é essa que está lhe acontecendo agora,
e que esse é o tempo de você se “fazer”, eu sei...

Fiz o que você me pediu quando nos despedimos,
“engoli” o choro, e só me restou então,
acenar até o ônibus desaparecer
naquela estrada que parecia não ter fim,
para finalmente soltar o choro que estava entalado
da sua falta, do seu sorriso, do seu abraço,
do meu medo de voltar sozinha para abrir
a porta da nossa casa espalhada de lembranças suas...

Eu sabia que ia ser assim,
mas eu enfrentei corajosamente
aquela volta com os olhos pregados na estrada
que nos levou, e que me trouxe sem você de volta pra casa.

Rosângela Cunha