Desconheço quem na vida não sofre por dizer o que pensa, e fazer o que gosta... Claro que te darão as costas, por que o mais comôdo e aceitável, é permanecer dentro da ciranda deles, dentro daquilo que eles rotularam, e aí de quem não andar na linha do "trem" deles!

Rosângela Cunha

19 de mar de 2010


Mas não tem jeito mesmo, sou realmente uma pessoa impulsiva do tipo que acredita cegamente nas próprias intuições, claro que nem sempre acerto, mas na maioria das vezes sou certeira, o que faz com essa minha impulsividade, obviamente, seja o resultado de um bom raciocínio. Ser impulsiva tem lá as suas vantagens, mas também tem as suas desvantagens... Entre um dos dois resultados sempre optarei, indiscutivelmente por tornar-me impulsiva, correndo assim todos os riscos. Não se vive só de ganhos, a vida também é de percas, e só perdendo é que podemos avaliar se somos bons ou maus jogadores. Mas que importa mesmo ser mau ou bom no jogo da vida?! Ora, o importante mesmo é está na vida, "nem sempre ganhando, nem sempre perdendo, mas aprendendo a jogar"... O jogo da vida é fascinante!
Rosângela Cunha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Só conheço uma liberdade,
e essa é a liberdade
do pensamento.

Antoine de Saint-Exupéry